Go to Top

Notícias

    Força Sindical de Pernambuco participa da Greve Geral desta sexta (30)

    Ato aconteceu no centro do Recife contra as reformas trabalhista e previdenciária



    A Força Sindical de Pernambuco participou na tarde desta sexta (30) da manifestação contra as reformas trabalhistas no Dia da Greve Geral. A paralisação que aconteceu em todo o país é em detrimento às reformas da previdência, trabalhista e a Lei da Terceirização Irrestrita. Vários sindicatos filiados à Força Sindical de PE e outras categorias participaram do ato, que reuniu milhares de trabalhadores no centro do Recife. Em clima junino, a multidão se concentrou na Praça do Derby, onde seguiu para a Avenida Conde da Boa Vista.



    A ação unitária das centrais sindicais tem resultado em uma grande mobilização em todos os cantos do país, como vimos nos dias 08 de março, 15 de março, na Greve Geral de 28 de abril e no Ocupa Brasília em 24 de maio. Como resultado do amplo debate com a sociedade e das mobilizações, o movimento de luta a favor dos trabalhadores conseguiu frear a tramitação da Reforma da Previdência e obteve uma primeira vitória na Reforma trabalhista, com a reprovação na CAS (Comissão de Assuntos Econômicos do Senado).



    “Mais uma vez o movimento sindical é protagonista das lutas em defesa dos direitos dos trabalhadores, além de solicitar a saída do presidente Temer e políticos corruptos do Congresso. Não só o engajamento das centrais que pode fazer este movimento grande, mas a sociedade junto também. Movimento sindical é um elemento de resistência, que precisa da participação da população brasileira”, ressaltou Rinaldo Júnior, presidente da Força Sindical de Pernambuco. Participaram do ato, alem da Força Sindical de PE, a CTB – Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil, a CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil, CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros, CSP Conlutas – Central Sindical e Popular, CUT – Central Única dos Trabalhares, a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores, UGT – União Geral dos Trabalhadores e as Frentes Brasil Popular (FBP) e Povo Sem Medo (FPSM).

    Voltar